O fim dos estagiários

Espaço dedicado a todos aqueles que deixaram de ser estágiarios, ao passo que se deu. Um incentivo aos que o são e aos que o hão-de ser

1.25.2006

E agora?

Cavaco ganhou. Admito que tinha esperanças numa segunda volta, onde a esquerda se pudesse unir para derrotar Cavaco.
Agora pergunto-me como vai ser. Vai Cavaco cumprir, dentro da constituição, as funções de P.R? Vai tentar extrapolar esses poderes, de forma a mandar alguma coisa? Vai criar secretárias de estado? Ou irá enviar forças policias para parar manifestações e greves, e agora são muitas, como fez durante o seu tempo como primeiro ministro? Sim, eu lembro-me da manifestação da ponte 25 de Abril, dos espancamentos a estudantes e trabalhadores em greve e, inclusive, de policias a bater em policias, por os primeiros quererem fundar um sindicato...E agora?

1.12.2006

Campanha

As presidenciais aproximam-se e os candidatos deambulam pelas terras de Portugal, fazendo a sua campanha. Posso afirmar a minha profunda desilusão com esta campanha, o vazio de ideias e a ausência de discussão de temas chave, entre os candidatos, tem sido uma constante. Os portugueses nem a um debate entre os seis candidatos tiveram direito[Sim! Agora são seis e não cinco]. Vimos diversos frente-a-frente, ou lado-a-lado, que pouco ou nada esclareceram. Assim, e a dez dias das eleições coloca-se uma questão:

Vamos eleger Cavaco à primeira volta, ou, pelo contrário, vamos eleger um candidato da dita esquerda para uma segunda volta??

1.06.2006

O Primeiro Dia

Assim nasce o Fim dos Estagiários.
Neste espaço não se pretende combater estágios ou estagiários, aqui pretende-se opinar, dar voz àqueles que o foram e, que a custa de acreditarem, de lutarem e de trabalharem deram o passo, ultrapassaram barreiras e deixaram de o ser.
Este blog pretende discutir e argumentar matérias tão vastas como a comunicação, a política, a economia, a religião, entre muitas outras.
Pretendemos um espaço aberto e plural, sem preconceitos e tabus.
Que este blog traga algo de novo a quem o escreve e não desaponte quem o lê.